Indicação

Liga para metalocerâmica para fundição a base de NiCr (Níquel, Cromo), que pode ser revestida com todas as massas cerâmica dentais com CET de 14,1×10-6/°C.

Características

Características

  • Resistência à tração – 821MPa;
  • Limite de elasticidade – 766MPa;
  • Potencia de alongamento – 4,0%;
  • Dureza Vickers – 380 à 400HV;
  • Densidade – 8,1g/cm³;
  • Coeficiente de Expansão Térmica (CET) entre 25 – 500°C – 14,1×10-6/°C;
  • Intervalo de fusão – 1200 – 1350°C.

Benefícios

Benefícios

  • Sem berílio;
  • Alta compatibilidade com as principais cerâmicas odontológicas;
  • Pode ser fundida com maçarico ou pelo processo de indução;
  • Fundição mais limpa;
  • Superfície lisa;
  • Maior fluidez;
  • Fácil usinagem e acabamento;
  • Possui uma ótima oxidação.

Valores

Valores

  • Mais segurança para o profissional;
  • Pode ser utilizada com todas as cerâmicas do mercado;
  • Versatilidade na fundição;
  • Economia de tempo;
  • Facilidade de acabamento e polimento;
  • Fundição sem falhas;
  • Economia de tempo;
  • Ótima união com a cerâmica, mesmo com várias queimas.

Informações técnicas

Composição:
Composição (AUTO/TERMO):
Níquel 74,0%, Cromo 12,5%, Nióbio 4,0%, Molibdênio 4%, Silício 3,0%, Alumínio 1,7%, Titânio, 0,8%.
Ligga N não deve ser utilizado em pacientes com alergia ao níquel.
Instruções de Uso (AUTO):
ENCERAMENTO
A modelação dos objetos de cera segue as conhecidas indicações protéticas. É recomendado a utilização de ceras ou material de modelagem que queimam sem deixar resíduos.
liga_ft
  • Antes do enceramento, deve ser aplicado verniz espaçador sobre os troqueis.
  • A forma da estrutura metálica deve ter o tamanho reduzido da coroa a ser reconstituída, partes faltantes do preparo devem ser reconstruídas.
  • É recomendada uma espessura mínima de 0,4mm das paredes, para garantir a fluidez segura do metal.
  • Confeccionar a estrutura de tal forma que se obtenha uma camada de cerâmica uniforme e com espessura máxima de 2mm.
  • Espessuras uniformes na camada de cerâmica evitam tensões e, consequentemente, trincas na cerâmica.
  • Não deixar cantos vivos na estrutura metálica, que podem ocasionar trincas.
  • As superfícies de contato, previstas para realização de soldas, deverão ser de forma plana.
Colocação dos canais de alimentação:
Método indireto para trabalhos grandes a partir de 4 elementos:
  • Sprue do cone (diâmetro): 3 à 3,5mm;
  • Barra transversal (diâmetro): 4 à 5mm;
  • Conexão à coroa (diâmetro): 2,5 à 3mm;
  • Comprimento: 3,5mm.
Método direto para fixas com poucos elementos e coroas unitárias:
liga_ft2
Coroas normais:
  • Diâmetro conduto de 3,0mm e comprimento de 15 à 20mm.
Coroas grandes e pônticos:
  • Diâmetro conduto de 3,5 à 4,0mm e comprimento de 15 à 20mm.
Câmara de condensação no modo direto:
  • 1,5mm aproximadamente de distância do objeto de fundição.
Cálculo da quantidade de metal:
Pesar o enceramento, incluindo os canais de alimentação, multiplicado por 8,1 (densidade do metal 8,1 g/cm3 e acrescentar aproximadamente 10g (1 ou 2 cilindros de metal) para o cone.
Inclusão em revestimento:
Utilizar revestimentos fosfatados, como por exemplo: Calibra Express (www.vipi.com.br).
ATENÇÃO: o enceramento não deve ser recoberto por uma camada superior a 6mm de revestimento.
Queima da cera e aquecimento do anel:
Leia atentamente o modo de uso do revestimento utilizado quanto as características no aquecimento normal ou “speed”.
Manter por, pelo menos, 1 hora a temperatura final de 900 a 950°C.
Fusão e fundição da liga metálica:
A LIGGA N pode ser fundida com maçarico ou pelo processo de indução.
Utilizar cadinhos específicos para fundição de ligas não nobres, de material cerâmico (óxidos de magnésio, de silício e de alumínio).
Não utilizar cadinhos de carbono.
Não é recomendado o uso de fundentes.
Reutilização de metal:
No processo de fundição da liga parte dos elementos que forma os óxidos são perdidos. Se o cone é reutilizado em várias fundições, estes elementos são reduzidos por completo. Portanto, utilizar sempre metal novo em trabalhos metalocerâmicos.
Processo de fundição:
Centrífuga por indução:
Colocar o metal no cadinho pré-aquecido e fundir de forma rápida e contínua, com o grau de potência no máximo, até que todos os cilindros de metal estejam derretidos, aguardar que a capa de óxido se rompa e fundir imediatamente.
Fusão com maçarico:
A LIGGA N apresenta uma fundição limpa e uma superfície lisa.
Utilizar bico tipo “ducha”.
a. Fundição com propano / oxigênio:
Selecionar a abertura máxima, segundo indicações do fabricante do maçarico;
Oxigênio: 2 – 3 bar
b. Fundição com acetileno / oxigênio:
Seguir as indicações do fabricante do maçarico;
Acetileno: 0,7 bar / oxigênio: 3 bar
O núcleo azul da chama direto na saída do maçarico deve medir de 4 à 5 mm. Pré-aquecer o cadinho sem o metal. Derreter a liga no cadinho com leve movimento circular da chama.
Na fundição com maçarico, após o derretimento do último cilindro, se forma uma capa de óxido. Com movimentos circulares, derreter a liga até que ela se movimente sob esta camada com a pressão do maçarico. Soltar a centrífuga antes que esta camada se rompa.
ATENÇÃO: um sobreaquecimento da liga é percebido quando a superfície da fundição estiver áspera, neste caso, liberar a centrífuga alguns instantes antes.
Sobreaquecimento da liga:
Em todos os processos de fusão e fundição da liga, deve se evitar o sobreaquecimento da liga. Sobreaquecimento pode causar porosidades, que posteriormente é a causa de bolhas, fraturas ou trincas na cerâmica.
Resfriamento do anel:
Retirar cuidadosamente o anel da centrífuga e deixar resfriar ao ar.
ATENÇÃO:perigo de queimaduras. Colocar o anel sobre uma superfície resistente ao calor.
Desinclusão e jateamento da peça:
ATENÇÃO: evitar inalar o pó.
Para diminuir o pó, umedecer o anel antes de abrir.
Não bater com martelo sobre o cone.
Jatear a estrutura com óxido de alumínio, com granulação de 125 µm.
Preparação da estrutura:
Atenção: para separar, desgastar e polir utilizar máscara e/ou exaustão.
Preparar a estrutura com pedras abrasivas (óxido de Al puro) ou fresas de metal duro.
Espessura mínima do metal 0,3mm.
Após a preparação, voltar a jatear a estrutura com óxido de Al novo, granulação de 125 – 250 µm, sob pressão máxima de 4 bar.
Em seguida, limpar a estrutura com jato de vapor, ultrassom ou água corrente e escova.
Queima de oxidação:
Após usinagem e jateamento da estrutura metálica, proceder da seguinte forma:
  • Temperatura inicial – 500°C;
  • Velocidade de aquecimento – 50°C/min.;
  • Temperatura final – 980°C;
  • Manutenção – 5 min.
Após a queima de oxidação a liga deverá apresentar uma coloração uniforme. Havendo manchas, usinar novamente a liga e repetir a queima de oxidação.
Não jatear novamente a estrutura para aplicação da cerâmica.
Queima de oxidação:
Podem ser aplicadas a cerâmicas para metal com CET de 14,1×10-6/°C.
Conservação e Armazenamento:
Manter ao abrigo de luz e calor.
Advertências/Precauções:
Não utilizar em casos de hipersensibilidade conhecida de um ou mais componentes da liga;
Apenas para uso odontológico;
Manter fora do alcance das crianças e isento de umidade;
Ao separar, desgastar, preparar e polir o metal, utilizar instalação de aspiração ou máscara facial e óculos de proteção;
O usuário da liga é responsável pela utilização do produto com as informações contidas no Guia de Utilização;
Devido ao constante desenvolvimento de nossos produtos, recomendamos, mesmo com o uso contínuo do mesmo produto, que estas instruções de utilização sejam relidas atentamente;
A Ligga N é de uso em próteses metalocerâmicas e indicado para pacientes de qualquer idade.
Validade:
Prazo de validade indeterminado.
Registro da ANVISA:
10216040038
Químico Responsável:
Hélio Wiebeck – CRQ 04302790

Apresentação

Apresentações:
Cilindros de 5g cada e são armazenados em embalagens de 50g, 500g, e 1.000g.

Vídeo